Páginas

domingo, 18 de janeiro de 2009

Menina

Brincava de boneca
A filhinha imaginária
A vontade pra filhinha:
Uma casa encantada
Papai, mamãe e irmãozinho.
Por que não os avozinhos?
Brincava de boneca
O sonho num sorriso mostrava
Pra filhinha imaginária
Já o céu apresentava:
- Vê? É de lá que vêm os anjos,
Pra cuidar das nossas casas.
Brincava de boneca
Tudo era uma certeza
Até no céu já via estrelas
Era festa! Era festa!
Na inocência acreditava.
Brincava de boneca
Inocente... Inocente...
As estrelas do céu desciam
Era míssil! Era míssil!
Era menina! Era menina!
Pensamento: dedicado a crianças cujas vidas são ceifadas, pelas guerras abraçadas.

Nenhum comentário: