Páginas

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Parapente - O ENCONTRO



Meu primeiro encontro com o parapente acabou se tornando um momento muito especial em minha vida.
Acredito que era para ser um simples domingo, com uma simples subida numa bela montanha, com amigos; para no cume chegar e assistir vôos de parapentes – algo que eu nunca havia dado atenção.
Mas eis que naquele momento vendo aqueles pilotos numa entrega total a si, organizando o equipamento de vôo com todo cuidado, e depois voando numa linda liberdade, eu só conseguia imaginar: “não deve ter explicação viver um momento assim, ou seja, não tem como explicar em palavras... deve ser uma sensação espetacular". Enfim, acredito que certas situações precisam, mesmo, apenas o sentir.
Acho que meu pensamento foi tão forte que aquele momento não se fez, na minha vida, apenas uma simples passagem: acredito ter sido um ENCONTRO.
Vídeo: edição Sandra Valeriote
Momento que foi a subida no Morro Azul e Ventos, com amigos para assistir vôo livre/parapente: AQUI

Deus não deu asas aos homens!
Mas em sua infinita bondade
Sendo, Ele, conhecedor do que representa
A beleza ao ser vista do alto;
Os deu imaginação (...)
Sandra Valeriote

Um comentário:

Adilson O. Fialho disse...

Parabéns Sandra pelo lindo blog. Suas palavras são muito bonitas e transmitem bem o que é o voar. O vôo é algo inexplicavel pelas palavras. São um misto de sentimentos que nos fazem apaixonar a cada vez que estamos a vagar pelo imenso céu. Não tem como eu transmitir as imagens que navegam em minha mente, adquiridas em cada sítio de vôo, mas a minha alegria em voar contagia quem se aproxima de mim, pois nela transcede uma paz e uma impougação que nem eu sabia que tinha...amo voar...amo me sentir deslizando pelo céu e sentindo o vento no rosto a cada vôo. Assim é o vôo pra mim. Abraços e mais uma vez, parabéns pelo seu blog.