Páginas

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Meio Ambiente + Ecologia

Meio Ambiente
É tudo que está a nossa volta. Isso abrange o ar, a água, todas as formas de vida, bem como tudo mais que nos cerca. Atmosfera, água dos rios, mares, lagos, chuva, solo e subsolo, montanhas, vales, campos, florestas, cidades, edifícios, pontes, estradas, objetos, microorganismos, todos os vegetais, todos os animais e o homem.
Qual será, de todos estes elementos, os mais importante, o mais precioso?
Sem dúvida, a VIDA.
Ecologia
É a ciência que estuda as relações entre os elementos do meio ambiente. O equilíbrio entre os diversos grupos de seres vivos e deles com o meio ambiente chama-se Equilíbrio Ecológico.O homem é certamente a espécie que mais modifica o meio ambiente em que vive. Sua atuação sobre o ambiente, no entanto, levou a sérios desequilíbrios. Precisamos nos conscientizar para essa importante questão, pois necessitamos para sobreviver, de sol, água, ar, animais e diversos elementos do solo e subsolo, ou seja, não vivemos sem os recursos que a natureza nos oferece.
fonte: cartilha Renovação da CNH - DETRAN/RJ
*****
Dez ecodestinos brasileiros:
Pantanal (MT e MS) - Os hotéis rurais da região proporcionam passeios aos turistas pelo habitat pantaneiro e muitas vezes também revelam o modo de vida próprio da região. A pesca só é permitida de março a outubro e com autorização do Ibama. Pena que o Parque Nacional do Pantanal Matogrossense, na área conhecida como Pantanal Norte (e próxima a Cuibá) não tenha infra-estrutura de visitação.
*
Parque Nacional do Iguaçu (PR) - A parte aberta ao público do parque é explorada turisticamente pela empresa Cataratas S.A., que ganhou uma concorrência internacional no fim da década de 90. Na época em que começou a atuar no lugar, ela construiu observatórios, reformou o restaurante e restringiu a circulação de automóveis na área, incentivando os visitantes a se locomoverem em um ônibus próprio do parque.
*
Chapada Diamantina (BA) - Grutas, cachoeiras, montanhas, chapadas e trilhas dispersas por uma área de 38 mil quilômetros quadrados (maior que a Holanda) fazem da região baiana um dos mais populares destinos de ecoturismo do Brasil. O envolvimento das comunidades locais com o turismo é um bom exemplo da troca entre moradores e visitantes: os primeiros trabalham como guias durante os passeios e/ou disponibilizam suas casas para hospedar os aventureiros que realizam os trekkings mais longos, como o do Vale do Paty. E os turistas com isso têm a oportunidade de conhecer e vivenciar o estilo de vida local, sem se ater somente às belas paisagens.
*
Parque Nacional da Serra da Capivara (PI) - Apenas na companhia dos guias é possível admirar as pinturas rupestres que são patrimônio cultural da humanidade, têm idade de 6.000 a 12.000 anos e formam a maior concentração mundial de sítios arqueológicos. Os visitantes chegam bem perto das obras de arte por meio de passarelas de madeira.
*
Amazônia (AM) - Conta com vários hotéis de selva que têm arquitetura harmônica com a natureza e que organizam passeios a pé ou de barco pela floresta para observar pássaros e jacarés, conhecer comunidades da região ou pescar. Um exemplo é o famoso Ariaú Jungle Tower, com torres localizadas na altura das copas das árvores e ligadas entre sim com passarelas de madeira. Outro é a Reserva de Mamirauá, cuja pousada flutuante tem energia solar e ventilação natural.
*
Lençóis Maranhense (MA) - As dunas recheadas de lagoas transparentes só podem ser desbravadas com veículos 4 x 4 e guias cadastrados pelo Ibama. Para quem não abre mão das comprinhas mesmo quando está em meio a natureza, as peças artesanais feitas com palha de buriti pela comunidade local são a grande pedida. A renda desses produtos típicos contribui para melhorar a qualidade de vida dos moradores da região, num claro exemplo de desenvolvimento sustentável aliado ao turismo.
*
Aparados da Serra e Serra Geral (RS) - Os dois parques nacionais são muito próximos entre si e abrigam impressionantes cânions: Itaimbezinho (em Aparados da Serra) e Fortaleza (em Serra Geral). A grande diferença está na infraestrutura de um e outro. O primeiro conta com uma boa sinalização e um centro de visitantes equipado com lanchonete, sala de audiovisual, banheiros e horários bem controlados de entrada e saída. Já o segundo tem apenas uma guarita e mais nada.
*
Bonito (MS) - É considerado um modelo de operação sustentável no Brasil, pois limita o número de pessoas por dia nas suas principais atrações, o que tem permitido a sua conservação. Os clássicos imperdíveis são a flutuação nos rios Formoso ou Sucuri para observar peixes coloridos e plantas através da água cristalina e a gruta do Lago Azul, adornada de estalactites e estalagmites.
*
Parque Nacional de Itatiaia (RJ e MG) - A parte alta do parque nacional mais antigo do país é o paraíso dos montanhistas, que sonham em escalar os picos das Prateleiras e o das Agulhas Negras. Já as principais atrações da parte baixa são as cachoeiras. É nessa área que ficam os hotéis, em geral construídos com integração à natureza, respeitando a vegetação nativa e os cursos de água.
*
Fernando de Noronha (PE) - Para entrar na ilha, é preciso pagar uma taxa de preservação ambiental diária, o que limita a quantidade de visitantes por lá. Além disso, algumas regras do arquipélago ajudam a manter o sossego da sua fauna e a transparência de suas águas. Por exemplo, é proibido mergulhar perto dos golfinhos ou usar protetor solar na praia de Atalaia.
fonte - imagens com informações: uol










Um comentário:

João Bosco disse...

Tive o prazer de conhecer dia 28/6 as Prateleiras do Parque Nacional de Itatiaia. É muito gratificante ver lá de cima tanta beleza. Nosso planeta é de um valor inestimável que nos foi dado por Deus e o mínimo que deviamos fazer é PRESERVÁ-LO.