Páginas

terça-feira, 10 de maio de 2011

Peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima




Eis uma boa notícia sobre novos caminhos sendo criado pelo Centro Nacional de Cultura, em Portugal, para os que escolhem a opção de chegar ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima através da peregrinação.


Percebe-se que os caminhos estarão permitindo um melhor viver à espiritualidade que o momento proporciona, pois favorecem a segurança necessária ao peregrino.


No mais, a notícia envolve o Caminho a Santiago de Compostela, ou seja, realmente uma boa notícia para ser lida por todos que buscam a luz que trazem as peregrinações.


Notícia:


A ideia nas peregrinações é nova em Portugal, mas já tem longa tradição noutros países. Em Espanha, por exemplo, para Santiago de Compostela ninguém caminha horas a fio em cima de alcatrão e por estradas nacionais cheias de trânsito. Este ano, o Centro Nacional de Cultura (CNC) quer levar os peregrinos dos vários pontos do país a Fátima por vias alternativas, em segurança e em maior contacto com a natureza, pelo que só em 2011 vão ser "inaugurados" seis novos trilhos que conduzem ao santuário e que se vêm juntar ao único percurso até agora devidamente sinalizado em Portugal. O Caminho do Tejo liga Lisboa a Fátima, num total de 140 quilómetros (percorridos, recomendavelmente, em cinco dias), passando por Vila Franca e Santarém.

Esta semana estão a ser terminadas as verificações no Caminho do Norte, com mais de 300 quilómetros e que passa em Valença, Porto, Coimbra e Fátima, além de fazer a ligação a Santiago de Compostela. E ainda este mês será marcado em tempo recorde - apenas um dia - o Caminho da Nazaré, que, ao longo de 50 quilómetros, atravessa os concelhos da Nazaré, Alcobaça, Ourém, Batalha e Porto de Mós.

"O que se pretende, um pouco à semelhança do que acontece em Espanha com os caminhos de Santiago, é afastar os peregrinos das estradas, tornando a caminhada mais segura, e proporcionar um contacto maior com a natureza, passando por pontos de interesse natural e religioso", explica Lourenço de Almeida, da direcção do CNC, ao i. Além de evitar atropelamentos, casos comuns nas peregrinações, os novos caminhos - assinalados com uma seta azul - "ajudam a revitalizar as aldeias e pequenas povoações" por onde passam, garante o CNC.

Ainda este ano, no Outono, serão recuperados e sinalizados o Caminho do Nor-deste (que começa em Bragança e permite ligação a Santiago de Compostela), o Caminho das Beiras (com partidas da Guarda, Covilhã e Castelo Branco) e dois Caminhos do Mar (um com início em Cascais e passagem em Sintra, Mafra, Torres Vedras e Bombarral e outro com início em Aveiro). Mais atrasados estão os Caminhos Além-Tejo, que começam em Faro, com passagem por Beja e Évora. "Está a ser feito um levantamento para perceber o que outras entidades têm feito no Alentejo e no Algarve", explica ainda Lourenço de Almeida. Todos os caminhos têm contado, até à data, com a colaboração das câmaras municipais.

O CNC espera ainda para saber se os peregrinos vão aproveitar esta forma para chegar a Fátima: "A ideia que temos é que os peregrinos tradicionais de Fátima reagem mal ao que é novo", admite Lourenço de Almeida, lembrando que até agora a maior adesão tem vindo de peregrinos estrangeiros, "que quando chegam a Portugal ficam espantadíssimos ao perceber que milhares de pessoas caminham por estradas nacionais".

GNR com duas operações Todos os anos, estima a GNR, uma média de 35 mil peregrinos rumam a Fátima e este ano a Guarda vai ter duas operações no terreno. Além da habitual Fénix, centrada no santuário, arrancou a 29 de Abril a operação Peregrino Seguro, que pretende acompanhar os peregrinos e prevenir comportamentos de risco. O dia de arranque da operação é simbólico: a 29 de Abril de 2010 dois peregrinos morreram atropelados a caminho de Fátima, na zona da Sertã. "É uma maneira de recordar o incidente e sensibilizar as pessoas para a necessidade de caminhar de forma segura", explica o tenente-coronel Joaquim Nunes, do comando territorial da GNR de Santarém. O patrulhamento está a ser reforçado sobretudo nas estradas nacionais, que continuam a ser as vias mais usadas para chegar a Fátima. "Não é o ideal, mas é a única solução, por falta de alternativas", admite o tenente-coronel.

No início da operação Peregrino Seguro a GNR deixa alertas para as estradas sem bermas - ou com bermas em mau estado - e para as "condições de iluminação deficitárias ou quase nulas, aumentando o risco de atropelamentos".

As recomendações dos militares que patrulham as estradas referem uma vez mais a necessidade de não circular nas faixas de rodagem, de caminhar em fila indiana, com coletes reflectores, longe de IP e IC, e aconselha os peregrinos a não fazerem mais de 30 km por dia ou com auscultadores nos ouvidos e evitarem as horas de maior calor.


fonte: AQUI


Enfim, por ter realizado essa publicação referenciando peregrinação, acabei me lembrando de uma belíssima mensagem de Fernando Sabino. Sendo assim, deixo aqui para servir como término da leitura.


De tudo, ficaram três coisas...


A certeza de que estamos sempre começando...


A certeza de que precisamos continuar...


A certeza de que seremos interrompidos antes de terminar...


Portanto, devemos:


Fazer da interrupção, um caminho novo...


Da queda, um passo de dança...


Do medo, uma escada...


Do sonho, uma ponte...


Da procura, um encontro...


2 comentários:

jtonelcosta@hotmail.com disse...

Gostava de ir do Santuário de Fátima a Santiago de Compostela a pé. Quais os trilhos? Onde posso ter acesso a eles? Agradeço ajuda.
Bjs.

sandra valeriote disse...

Olá, tenho por hábito me interessar por informações como essa por (como você) ter vontade de peregrinar um caminho assim.
Só que, no meu caso, antes eu tinha conhecimento apenas sobre existir um caminho português que possibilitava a chegada a Santiago de Compostela. Já agora, através dessa informação (que é a única que possuo até o momento nesse sentido), veio-me a surpresa que existe a possibilidade de que nesse caminho possa estar uma passagem pelo Santuário de Fátima.
Então, lamento não ter como lhe ajudar, pois estou como você... na busca. De qualquer forma, algo nos parece bem certo, com esse “olhar especial” do CNC de Portugal, BONS TRILHOS HÃO DE VIR.
Bom caminho!